Duluc de Branaire

AOC Saint Julien

Região Bordeaux | Tinto | 2012

Uvas: Cabernet Sauvignon 54%, Merlot 44%, Petit Verdot 1% e Cabernet Franc 1%.

Elegante . Persistente . Longo . Aveludado . Frutado . Tânico

Harmonização: Carnes vermelhas, Embutidos

Valor normal:
R$389,00

Valor Venda Primeur:

R$182,00

Caixa 6un:

R$1.092,00
Ficha técnica
Safra: 2012
Conteúdo: 750ml
Uvas: Cabernet Sauvignon 54%, Merlot 44%, Petit Verdot 1% e Cabernet Franc 1%.
Teor alcoólico: 13.5%
Temperatura de serviço: 16º
Estimativa de guarda: 15 anos
Como conservar seu vinho: Para o vinho mostrar todo o seu potencial quando for degustado, ele tem de ser armazenado em ambiente fresco, com controle de temperatura e umidade, livre de trepidações e sem contato com a luz.
Ficha de degustação
Cor: Violeta.
Aroma: Aromas delicados de frutas vermelhas e pretas e ligeiramente defumado.
Paladar: No paladar levemente tostado, com boa estrutura e taninos enérgicos.
Resumo: Com uma historia que remonta o século XVII , o Château Branaire Ducru foi formado com uma parcela nobre de vinhedos que antes pertencia ao Château Beychevelle. Pela grande qualidade de seus vinhos, a propriedade foi classificada como " Grand cru classé" ainda em 1855. Um vinho com muito charme e elegância, Duluc é apreciado pela sua cor carmim, seus sabores de cereja negra e defumados. Envelhecimento em barril por 16 meses com 65% de madeira nova. A boca oferece um tanino expressivo e com uma textura bem proporcionada.
  • Seco
    Doce
  • Leve
    Potente
  • Simpes
    Complexo
  • - Frutado
    + Frutado
  • - Amadeirado
    + Amadeirado
  • - Tânico
    + Tânico
  • - Ácido
    + Ácido
Sobre a Região

Região: Bordeaux
Vinícola: Château Branaire-Ducru
Sobre a região: Bordeaux é região francesa que mais exporta vinhos tintos e de todas as regiões vinícolas do mundo, mantém a maior regularidade de nível de qualidade, sendo a mais bela vitrine dos vinhos franceses.

Esta região, como outras regiões francesas, sofreu muito com as pragas, guerras e crises econômicas, e teve como marco de seu renascimento, o ano de 1960, graças ao progresso da enologia e ao investimento maciço na região.

De forma didática e simples podemos classificar os vinhos de Bordeaux da seguinte forma: Margem Esquerda: tintos secos e de personalidade, com uma mistura Cabernet Sauvignon e Merlot mais rústica, em notas de groselha, menta, tabaco e cascalho. Potencial de guarda que excede a 20 anos. São os Medoc típicos, que incluem Saint Estèphe, Saint Julien, Listrac e Margaux; Já os vinhos da Margem Direita: tintos um pouco mais suaves de Merlot com Cabernet Franc. Sabores de cereja, tabaco e menta e como representantes as regiões de Pomerol, Saint Emilion e Fronsac.

É uma região riquíssima em história, apaixonante de se conhecer e beber.